Notícias da CERR

Notícias da CERR

28/02/2019

imagem da notícia

LINHÃO DE TUCURUÍ

Conselho de Defesa Nacional reconhece obra como de interesse nacional

Após conclusão das obras, Roraima deixará definitivamente a dependência de Linhão de Guri, da Venezuela

Foto: Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República

Em uma ligação telefônica recebida pelo governador Antonio Denarium, nesta quarta-feira, 27, o presidente da República, Jair Bolsonaro, informou a aprovação pelo Conselho de Defesa Nacional do Linhão de Tucuruí como uma obra de interesse Nacional, que era para ter sido concluída em 2015, mas ainda sofre inúmeros embargos na justiça.

“O presidente [Jair Bolsonaro] que me comunicou que foi aprovado pelo Conselho de Defesa Nacional, o Linhão de Tucuruí, como uma obra de interesse nacional. Nos próximos meses estaremos anunciando o início das obras. Isso representa mais uma vitória de Roraima pela defesa nacional e também pela segurança energética”, disse Denarium, ao acrescentar que o presidente reuniu a bancada federal [deputados e senadores] para dar a notícia.

Roraima é o único Estado Brasileiro que ainda não está interligado ao Sistema Interligado Nacional e depende da energia produzida pela hidrelétrica de Guri - que está entre as 10 maiores do mundo e localizada no rio Caroni, na Venezuela.

Dez dos 15 municípios roraimenses são abastecidos pela energia venezuelana desde 2001. A demanda atual de energia elétrica no Estado é de 189,1 MW. Cerca de 50% é suprida pela geração venezuelana, que tem capacidade para 95 MW.

Em 2011, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) licitou a obra do Linhão de Tucuruí. O consórcio TransNorte, formado pelas empresas Alupar e Eletronorte, investiu R$ 300 milhões na obra, que deveria ter sido entregue em dezembro de 2015, mas sequer começaram.

O Linhão de Tucuruí cruzará 125 quilômetros de território indígena Waimiri-Atroari e as empresas não têm autorização para entrar. Em dezembro de 2015, prazo que a obra deveria ter sido entregue, o Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis) emitiu a Licença Prévia, mas logo veio a cobrança de Licença de Instalação.

Enquanto a situação do Linhão de Tucurí não se resolve na Justiça, com a liberação da licença ambiental, o MME (Ministério de Minas e Energia) disponibilizou consulta pública para a realização de leilão para o suprimento de energia fotovoltaica (captação solar) e eólica (vento /moinhos) visando acabar com os transtornos causados pela constante falta de energia em Roraima.

Fonte: SECOM/RR