Notícias da CERR

Notícias da CERR

25/06/2019

imagem da notícia

INDEPENDÊNCIA ENERGÉTICA

Governo discute sobre instalação de empresas que vão fornecer energia elétrica para Roraima

 

Reunião teve como foco esclarecer, ajustar e agilizar os trâmites para o início das obras das usinas elétricas

A segurança energética é um dos principais objetivos do Governo de Roraima e para agilizar o processo de instalação das empresas ganhadoras do primeiro leilão de energias renováveis, o governador Antonio Denarium esteve reunido nesta segunda-feira, dia 24, com secretários de Estado e representantes da empresa Uniagro, uma das ganhadoras do leilão.

A reunião, que ocorreu no Palácio Senador Hélio Campos, teve como foco esclarecer, ajustar e agilizar os trâmites para o início das obras das usinas de geração de energia elétrica.

Conforme Denarium, a construção das usinas vai gerar, pelo menos, três mil empregos, garantindo renda para a população e movimentação do comércio e serviço.

“Várias empresas ganharam o leilão para o fornecimento de energia de fontes renováveis. Recebemos a empresa Uniagro, que vai fornecer energia de biomassa, que é um grande investimento para Roraima, que vai trazer geração de emprego e renda. A previsão é que até junho de 2021, a população já esteja recebendo energia de qualidade e confiável dessas empresas”, pontuou o governador.

Eduardo Fleuri, representante da empresa Uniagro, destacou a preocupação com o Meio Ambiente nesse primeiro momento. “Nosso projeto é totalmente sustentável, e as usinas deverão ser instaladas em quatro locais, então nossa preocupação é saber as informações sobre o licenciamento ambiental, e a possibilidade de plantio da madeira, como a acácia, que também pode vir a ser substituído por eucalipto. Sabemos que podemos contar com a boa vontade do governo para nos ajudar nesses procedimentos”, frisou.

 

A Uniagro investiu R$ 227.400.000,00 com potência de 40 MW, totalizando os 293,869 MW contratados.

O secretário de Planejamento e Desenvolvimento, Marcos Jorge, colocou que a situação energética é um problema sério enfrentado pelo Estado e por isso o governador Antonio Denarium pediu o empenho de todos os secretários envolvidos, para que dentro da legislação facilitem a vinda desses empreendimentos para o Estado.

“O sucesso do leilão também teve a participação Governo, que tem tido todo cuidado para verificar de que forma pode ser feito o licenciamento ambiental. A Seplan dentro de suas competências está tirando todas dúvidas sobre o que o Estado tem de legislação local, bem como, o que precisa ser observado para que os empreendimentos sejam efetivados. Tanto os empresários estão se demonstrando satisfeitos com a atenção que o governo tem dado, como secretários estão empenhados para facilitar de forma mais acelerada a instalação dessas empresas”, explicou Marcos Jorge.

Com o primeiro leilão de energias renováveis, o Estado de Roraima garantiu redução de 35% no valor do MWh (Megawatt por hora).

Atualmente, o valor da energia gerada pelas térmicas é de R$ 1.287,00/MWh e a partir de junho de 2021, quando as empresas passarão a fornecer energia haverá redução de 35%, com o novo valor médio de R$ 833/ MWh.

 

FONTES RENOVÁVEIS – O leilão proporcionou a contratação de 293,869 MW que permitirão ao consumidor maior segurança energética, a um preço mais justo para a sua energia.

Ao todo, serão nove tipos de usinas para geração de energia por meio de gás natural, bioenergia, biomassa de madeira, energia solar e óleo diesel em menor quantidade, que substituirão o uso integral de diesel, hoje utilizado nas termelétricas que abastecem Boa Vista.

O investimento será em torno de R$ 1,6 bilhão, que vai contemplar tanto a construção das usinas, quanto o pagamento da mão de obra. A previsão é que a operação comercial inicie em junho de 2021.

 

Cinco empresas vão produzir energia renovável

 

Ao todo, cinco empresas serão contratadas para o fornecimento de energia. A empresa Oliveira foi a única que ganhou para fornecer energia por meio de óleo diesel. O investimento foi de R$ 126.983.750,00 com potência nominal de 38,116 MW.

A empresa Azulao investiu R$ 425.410.800,00 para gerar 126,290 MW. A empresa BFF fez investimento de R$ 97.416.022,00 para fornecimento de energia via Biocombustível e biomassa, e R$ 573.759.883,00 para energia de origem de Biocombustível e radiação solar. A potência é de 17,616 MW e 56,218 MW, respectivamente.

Outra empresa que ganhou o leilão para fornecimento energético por meio de Biocombustível e radiação solar foi a Enerplan. O investimento é de R$ 70.355.713,00 com potência de 11,490 MW.