Governador assina decreto que autoriza estudo de impacto financeiro para o PCCR do Ipem

NOTÍCIA Assessoria de Comunicação
imagem da notícia

Demanda antiga dos servidores do IPEM (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de Roraima), a reestruturação de cargos e salários do órgão estadual passou por sua primeira etapa, com a assinatura de decreto que autoriza o estudo de impacto financeiro da mudança. A rubrica foi feita na manhã desta segunda-feira, dia 22, durante reunião com servidores na sede do instituto.

Uma vez que o texto passe por todos os processos de estudo de impacto financeiro junto às secretarias, a proposta virará um Projeto de Lei, que será enviado à ALERR (Assembleia Legislativa de Roraima) para apreciação e votação.

O governador Antonio Denarium reafirmou seu compromisso de valorização dos servidores estaduais e ressaltou que a gestão irá trabalhar para que esse projeto beneficie esses servidores do Instituto já em 2022.

“Estes servidores estão à espera dessa reestruturação há muito tempo e iremos fazer de tudo que estiver ao nosso alcance para que aconteça. Isso mostra que a nossa gestão procura sempre valorizar o servidor e, consequentemente, melhorar o atendimento à população. E estou fazendo isso de secretaria em secretaria, a fim de contemplar todos os nossos servidores do Governo do Estado”, declarou o chefe do Executivo.

De acordo com a presidente do IPEM, Isabella Dias, a última reestruturação do órgão ocorreu em 2006 e a última atualização da remuneração dos servidores da pasta foi feita em 2013. Desde então, tanto os salários, quanto o cenário de trabalho no instituto se tornou defasado, por isso a extrema importância dessa reestruturação.

“De lá pra cá [desde 2006], o estado cresceu muito. As nossas atividades alcançam todos os municípios. Então, a nossa atual estrutura não está mais atendendo ao tamanho de nosso estado, ao aumento do número de comércio, de indústrias, até mesmo o plantio de grãos que vem aumentando muito e isso impacta nas nossas atividades. Consideramos que nós estamos montando o nosso laboratório de umidade de grãos. Então, a nossa estrutura realmente precisava ser reavaliada e reestruturada” explicou.

 Fonte: Secom - RR